Fóssil descoberto em Nova Olinda tem pelo menos 120 milhões de anos

Anunciado no último dia 21 na sede do Geopark Araripe, mais uma descoberta paleontológica inédita. Trata-se de um fóssil de 120 milhões de anos. Uma planta conhecida popularmente como Japecanga, família da Smilacaceae, do Período Cretáceo.

Novo fóssil descoberto em Nova Olinda.

Novo fóssil descoberto em Nova Olinda.

De acordo com informações dos pesquisadores geradas após a descoberta do fóssil esté é o mais antigo registro desta espécie que se tem notícia no mundo. O fóssil, descrito em um artigo de doutorado, recentemente publicado pela Academia Brasileira de Ciências, é baseado em uma folha com características semelhantes às do gênero Smilax, frequente nas Américas, Europa e sudeste asiático.

Tão importante descoberta vem a calhar na datação e derivação dos continentes, por causa da sua insurgência no território africano e no território do Araripe, como também por suas características da espécie e da família.

Afirma ainda o professor Álamo Feitosa, orientador do trabalho acadêmico de doutorado que descreveu o fóssil, que ainda há muitas descobertas a serem feitas e bons resultados continuarão a ser apresentados a comunidade.  “Com essa descoberta podemos reforçar que os nossos fósseis são importantes, têm que ficar aqui e podem trazer dividendos em forma de turismo sustentável e desenvolvimento para a nossa região”, frisa.

O fóssil foi encontrado no ano de 2012 e durante um ano e meio passou por análises laboratoriais sendo assim descrito e publicado nos anais da Academia Brasileira de Ciências. O nome dado é uma homenagem ao professor Jackson Antero (in Memoriam), Cratosmilax Jacksoni. O docente foi um dos grandes nomes do Cariri na luta pela preservação da Chapada do Araripe, e chegou a ser o chefe da Área de Proteção Ambiental (APA) da Chapada do Araripe.

A Smilacaceae é uma família de plantas monocotiledôneas basais que ocorrem em todos os continentes e está relacionada à origem de plantas com flores. Fósseis dessa família são conhecidos desde o Cretáceo Superior.

Já visitou o museu de Paleontologia em Santana do Cariri?